sábado, 8 de março de 2014

O Outro Lado Da Moeda 3 - Um pouco além das influências

Pré-requisito (obrigatório): O Outro Lado da Moeda 2
Autor: Gustavo Spina

Não há como negar que somos influenciados desde o momento que nascemos, por tudo e por todos, a todo o tempo. Seja por nossos pais, pela sociedade, pelas grandes empresas, pelo que vemos e ouvimos, pelo modo de vida das pessoas mais próximas e até pela localidade onde vivemos. Mas quais dessas influências são naturais e saudáveis, e quais são propositais e prejudiciais? Neste texto iremos mergulhar fundo no mar das influências, conhecendo seus tipos, motivos e consequências, podendo ir até um pouco além, aprendendo um pouco mais sobre o mundo e também sobre nós mesmos.

Há quem diga que não somos o que somos, não temos um “eu interior”, tudo, exatamente TUDO, vem de fora, através das influências. Talvez seja assim mesmo, talvez não, mas o fato é que somos, realmente, muito influenciados, e isto fica fácil perceber simplesmente ao imaginarmos que tivéssemos nascido a quarenta anos atrás, em algum lugar do outro lado do mundo. Não é difícil ver que seríamos completamente outras pessoas, acostumados com outras culturas, outras crenças, outro estilo de vida, princípios, gostos pessoais, entre milhares de outros aspectos de nossa personalidade. Isto mostra o quanto as influências são decisivas no processo de formação de nossas personalidades. Isto evidencia também o quão patético é defendermos com unhas e dentes nossas crenças e religiões, pois bastaria que tivéssemos nascido em outro lugar, em outra época, para que nossas “verdades absolutas e incontestáveis” fossem outras, mas isso faz parte de outra discussão, em outras oportunidades, sigamos adiante.

Estes tipos de influências citadas acima, como influências de localização, tempo e família, são as influências naturais e menos danosas, que acontecem naturalmente, e sempre vão acontecer, pois a diversidade é algo intrínseco ao ser humano através da genética, e isto aplica inclusive aos seus pensamentos. Porém estas não são as únicas, maiores, mais fortes e perigosas influências que existem. As influências propositais, como as feitas principalmente pelas grandes corporações, mídia, governantes e pessoas influentes, são as influências que mais direcionam nossa personalidade, podendo ser caracterizadas como técnicas de manipulação, por, na maioria das vezes, irem além de uma simples influência.

A diferença entre influenciar e manipular, pode ser ilustrada com o seguinte exemplo: Suponha que você, ao seguir uma estrada, encontre uma bifurcação, sem saber se o melhor caminho é o da esquerda ou o da direita. No caso da influência, uma pessoa chega até você e diz que um dos caminhos é melhor do que o outro, porém, fica ainda a seu critério escolher qual caminho seguir. No caso da manipulação, a pessoa que chega até você, te diz qual é o melhor caminho e te força a ir onde ela quer, persuadindo ou enganando você através da falsa ilusão de escolha. Trazendo para a vida real, ainda que se nasça no ocidente, em uma família cristã, por exemplo, você ainda pode escolher, mesmo que seja com certa dificuldade e anos mais tarde, viver o estilo de vida oriental, seguindo suas crenças, culinária típica, entre outros fatores culturais distintos. Porém, é muito fácil falar em liberdade, quando não podemos chegar a lugar algum, sem alguma quantia em dinheiro, falar em democracia, ao mesmo tempo em que a polícia nos massacra quando protestamos contra o governo, ou em liberdade de escolha, quando estamos dentro do supermercado, sem ver que, na verdade, todos os produtos que ali na prateleira são concorrentes, na verdade pertencem às mesmas grandes corporações, que pertencem ao mesmo grupo seleto de pessoas, o que justifica os dados que mostram que aproximadamente 1% da população mundial detém cerca de 50% da riqueza de todo o planeta.

A mídia, e esta não poderia ficar de fora, é de novo ferramenta de extrema utilidade na difusão dessa manipulação social. Através dela as grandes corporações e governos podem te dar essa falsa sensação de liberdade de escolha, com suas propagandas e anúncios, quando, no fundo, ambos os caminhos mostrados levam ao mesmo lugar. As consequências disso não são apenas diretas e não atingem somente as mentes mais preguiçosas e desatentas, que fazem tudo o que a televisão manda. Há também consequências indiretas desta manipulação, que atingem também aos que fazem um melhor uso de seu cérebro e tentam criar suas próprias personalidades, como por exemplo, através da pressão social. A pressão social é um efeito de aversão ou rejeição da grande massa de pessoas que seguem as opiniões, ideias e estilo de vida mais incentivados pela mídia, para com as pessoas que contrariam essas mesmas ideias. Por exemplo, além de ser muito mais fácil de encontrar informações ou ter oportunidades de lazer, neste país, se você for um brasileiro apaixonado por futebol, se você não o for, todos à sua volta ainda te repreenderão, além de estarem constantemente discutindo sobre futebol, por dentro de todos os assuntos, indo a jogos juntos, entre outras coisas, pressionando, desta forma, seu modo “diferente” de ser, o que muitas vezes desestimula as pessoas, forçando-as a compactuar também com aquelas ideias mais comuns, criando ainda mais pessoas iguais, que compartilham da opinião geral incentivada por tudo e todos.

Esta consequência pode ser entendida como uma das técnicas de manipulação, das milhares de outras existentes, como as frases imperativas nas propagandas, que dizem a todo o tempo o que você deve comprar, ou as modas lançadas nas telenovelas, que dizem a todo o tempo como você deve se vestir, ou mesmo grandes figuras públicas carismáticas dizendo do que você deve gostar, com o que deve se preocupar, como devemos agir e o que devemos fazer. Dentre estas várias técnicas, a mais bem elaborada, sendo o escopo principal deste texto, são as chamadas MENSAGENS SUBLIMINARES.

Nossos olhos, como vimos no texto anterior, atuando juntamente com nosso cérebro, servem como um FILTRO, uma barreira a tudo aquilo que primeiramente olhamos para depois analisarmos e decidirmos o que fazer com aquela informação: aceitar, rejeitar, acreditar, desacreditar, memorizar, etc. Porém, nem tudo somos capazes de enxergar. Dentro do enorme espectro de ondas eletromagnéticas, apenas uma relativamente pequena faixa compõe a luz visível, delimitadas inferiormente pelas ondas infravermelhas, e superiormente pelas ultravioletas. Dentro do espectro visível também temos algumas limitações. No caso de objetos estáticos, somos capazes de enxergar somente objetos maiores do que algo em torno de dez micrômetros.

No caso de objetos em movimento, uma medida interessante da velocidade que uma informação passa por nossos olhos é a de “quadros por segundo” (QPS), ou em inglês FPS (frames per second). Esta é uma medida de quantos quadros de imagem passam, por segundo, diante de nossos olhos. A partir de aproximadamente dezesseis QPS, nosso cérebro começa a interpretar as informações de modo contínuo. Para ilustrar um pouco essa ideia temos a informação de que nos cinemas, os filmes são rodados a 24 QPS, o que faz com que nosso cérebro interprete os quadros sequencialmente, nos fazendo vê-los de forma contínua. E quanto mais alta essa velocidade, menos perceberemos cada quadro separadamente. Outro exemplo interessante que ilustra este fato é a lâmpada de filamento. Aquelas lâmpadas um pouco menos utilizadas hoje em dia, tipicamente de luz amarelada, funcionam, em sua maioria, a 60 Hertz, unidade de medida que expressa ciclos por segundo. Isso significa que, a grosso modo, aquela lâmpada fica acendendo e apagando 60 vezes por segundo, entretanto, como é rápido demais, nossos olhos não percebem, e enxergamos apenas uma iluminação contínua.

Com estas ideias fixadas, podemos agora definir a mensagem subliminar como aquela que é emitida em uma frequência fora da faixa de percepção consciente. Dessa forma, se uma informação isolada, seja uma frase ou uma imagem, nos for mostrada a uma velocidade ou frequência muito alta, no meio de várias outras informações a velocidades ou frequências mais baixas, nós não a perceberemos, não a enxergaremos. E, retomando a ideia de que nossos olhos funcionam como um filtro, uma BARREIRA a tudo aquilo que vemos, essa mensagem passará por nossos olhos, por nosso consciente, de modo a chegar diretamente ao cérebro, sendo percebida apenas por nosso inconsciente, sem que possamos enxerga-la para podermos decidir o que fazer com ela.

Em outras palavras, quando nós enxergamos conscientemente, nós filtramos e escolhemos aceitar ou não aquela dada informação. Então, se a mensagem passa despercebida, nós não a filtramos e não escolhemos aceita-la ou não, ela simplesmente entra em nosso inconsciente sem que ao menos saibamos disso, caracterizando-se assim como uma forma muito inteligente e eficiente de nos manipular e persuadir, implantando vontades, ideias, gostos e até nos fazendo acostumar com certos tipos de informação. Outras formas de mensagens subliminares também foram desenvolvidas posteriormente, como a que consiste em uma mensagem muito bem escondida e disfarçada a ponto de não entendermos, ou entendermos uma falsa mensagem conscientemente, mas inconscientemente, entendermos ou entendermos a verdadeira mensagem. Exemplos desses tipos de mensagens subliminares estarão adiante no texto, mas, antes disso, é importante entendermos onde essas mensagens se encontram e por que.

A maior incidência dessas mensagens está nas publicidades e propagandas em geral e nos filmes, principalmente infantis, o que é facilmente justificável. Se o que caracteriza uma mensagem como subliminar é o fato dela entrar em nossas mentes sem que possamos barrar, nos influenciando, é uma questão de lógica que elas sejam usadas em propagandas para te influenciar a comprar algo, ou a ser atraído por algum produto, mesmo que você nem seja o principal público alvo. Podemos também pensarmos que quanto menos treinada e mais inocente for uma mente, mais facilmente ela aceitará as ideias e informações que chegarem a sua mente, e mais facilmente será manipulada, sendo novamente uma questão de lógica que elas estejam em filmes, sobretudo infantis.

Infelizmente, por ser um assunto amplamente explorado, muitas vezes com exagero e de modo errôneo e apelativo, ao discutirmos sobre mensagens subliminares receio despertar um certo preconceito por parte do leitor, mas creio que, tomando os devidos cuidados, possamos entender a essência desta técnica tão utilizada de manipulação. Sigamos a diante. Para começar, vamos utilizar o exemplo da palavra SEX, que significa sexo, escondida no meio dos cubos de gelo em uma propaganda de alguma bebida estrangeira, mostrada nas figuras abaixo.



Esta mensagem ilustra, de forma bem simples, algumas características e o funcionamento das mensagens subliminares. Todas as mensagens escondidas são, em geral, muito pequenas e estão resumidas a uma imagem ou uma palavra, como nesse caso. Quando essa palavra ou imagem chega ao nosso inconsciente, é associada com o que já sabemos sobre aquilo, ou apenas armazenada. Nesse caso, a palavra SEX vai para o nosso inconsciente e nós associamos a algo bom, algo prazeroso, o que explica o porquê da grande incidência de elementos sexuais nas mensagens subliminares, como imagens escondidas de mulheres nuas, de partes genitais, entre outras. Dessa forma, quando vemos essa propaganda e a de seu concorrente, nossa mente é mais propensa a preferir essa bebida, pois teremos a sensação de que ela parece mais saborosa e atraente, ou de que ela chama mais a atenção. Embora pareça algo bobo ou inofensivo uma simples palavra escondida nos cubos de gelo, a chave não é a palavra em si, e sim com que elementos nossa mente associa aquela pequena informação.

O próximo exemplo é da empresa campeã disparada de mensagens subliminares: Walt Disney. Detentora de inúmeras mensagens subliminares em exatamente todos os seus filmes, a Disney explora de diversas formas o assunto desse texto, na prática. Cabe aqui, antes de irmos ao exemplo, uma breve nota sobre o gesto chamado de “mão chifrada”.



Gesto sendo feito por um membro da
doutrina criada por Crowley

(clique na imagem para ampliar)
Em uma breve descrição, o significado do gesto da mão chifrada varia de acordo com o contexto ou situação a qual ele aparece. Originalmente, faz parte dos rituais satânicos da doutrina criada por Edward Alexander Crowley, além de servir como uma espécie de cumprimento ou identificação entre os membros desta mesma doutrina, fato ilustrado na figura ao lado. Em meados da década de 80, o cantor Ronnie James Dio popularizou este mesmo gesto no mundo do Rock n’ Roll e Heavy Metal, o que fez com que, neste contexto, este gesto fizesse referência a estes gêneros musicais. Em linguagem de sinais, este gesto também foi incorporado, desta vez significando “eu te amo”. Há ainda algumas outras variações menos importantes, como por exemplo, ser o gesto utilizado pela torcida de futebol americano da Universidade do Texas, entre outros.

Sendo assim, em cada contexto extraímos um significado diferente deste gesto, mas o fato é que não estando em contexto algum, retornamos ao seu significado original. E sem entrarmos no mérito de crenças, deixando de lado a discussão sobre a existência ou inexistência do demônio ou qualquer outro elemento religioso, vamos nos reter apenas à sua essência, traduzindo seu significado original apenas como uma referência a algo mal, algo ruim. Com isto, podemos ir ao exemplo.


No famoso desenho “Branca de Neve”, existe uma cena onde o caçador, que a persegue com o objetivo de mata-la, chega então perto dela. Ao se aproximar, com ela ainda de costas, ele estica seu braço, segurando uma faca em sua mão para dar a apunhalada. Ao perceber que há alguém perto, a branca de neve então olha para trás e só tem tempo de se esquivar, colocando os braços na frente do rosto, e quando ela faz isto, com uma das mãos ela faz o gesto, como podemos ver na imagem abaixo.

Gesto sendo feito pela Branca de Neve
(clique na imagem para ampliar)
Logo em seguida, o caçador simplesmente desiste de seu objetivo, largando a faca e ajoelhando aos pés dela, pedindo perdão. Para que não fique sem sentido, a história do desenho justifica de alguma forma o porquê daquilo, porém se analisarmos um pouco melhor podemos ver que por trás desta cena há um contexto simples, que é repetido inúmeras vezes em quase todos os desenhos da Disney: o de prostrar-se diante daquele gesto. Esta mensagem, e todas as outras análogas a esta, funcionam de forma a fazer com que nós, e as crianças, nos acostumemos com este gesto, com que nós nos familiarizemos com isto, e com o ato de submeter-se a dele. Esse gesto e o ato de prostrar-se diante dele vão para o nosso inconsciente frequentemente, tornando-se uma coisa comum em nossas mentes. Dessa forma, cada vez mais vamos nos acostumando com a ideia de se ajoelhar diante do mal, de temer o mal, de achar tudo isso uma grande bobagem. Sendo um pouco mais perspicaz com você, querido leitor, posso até dizer que, se você está pensando agora mesmo que isso tudo não tem “nada a ver”, você está provando estar acostumado com isto, concretizando assim, que isso realmente funciona e é real.

Com esta e milhares de outras mensagens e ideias sendo injetadas em nossas cabeças, desde quando éramos apenas bebês, não é difícil responder o porquê a sociedade está cada vez mais fria, mais indiferente com as barbaridades e atrocidades que ocorrem diariamente, mais robotizada e egoísta, atribuindo cada vez menos valor ao próximo, à vida. Não devemos chegar ao ponto de não nos abalarmos mais com uma notícia de assassinato, de nos acostumarmos com a violência, com preconceitos, a nos tratarem diferente por termos mais ou menos dinheiro, não devemos nos acostumar com o mal, muito menos a nos prostrarmos diante dele.

Os exemplos deste texto, para que esta não fique uma discussão maçante e demasiadamente longa, acabam por aqui, mas você, com meu humilde apoio, encontrará facilmente estes e uma infinidade de outros exemplos de mensagens subliminares ao pesquisar na internet. É claro que, como acontece com todo e qualquer assunto, esta pesquisa dependerá principalmente de seu bom senso, pois assim como existem exemplos coerentes e interessantes, há também péssimos exemplos apelativos e exagerados, cabendo a você separá-los, não se esquecendo de que ESTOU SEMPRE ABERTO A DÚVIDAS E DISCUSSÕES, nos comentários deste mesmo blog.

Sendo assim, podemos concluir que infelizmente não há nada que possamos fazer para barrar estes diversos tipos e formas de influenciação e manipulação, todavia, NADA nos impede de diminuir sua incidência sobre nós, bem como seus danosos efeitos. Podemos não concordar, mas devemos aceitar que vivemos neste atual sistema e que dependemos dele para viver, sendo obrigados a conviver com seus aspectos e peculiaridades, portanto, além de ser impossível se isolar de todos os meios de informação ou qualquer outra medida radical, isto de nada adiantaria. Melhor do que isso é termos bom senso, procurando saber as verdades, pesquisando mais e sendo mais seletos e cuidadosos com as fontes de informação as quais consultamos diariamente. Melhor do que isso também é abrirmos nossas cabeças a novos horizontes, tendo consciência de que essas mensagens estão constantemente nos influenciando e manipulando, e lutarmos contra isso, cobrindo estas ideias e pensamentos errados com ideias mais coerentes e pensamentos corretos, criando acima de tudo a nossa própria personalidade, nossos gostos, nossas opiniões, nossas linhagens de pensamento, sendo mais autônomos sobre nós mesmos, espalhando e divulgando também, sempre que possível, estas informações com mais pessoas, para que todos possam se conscientizar afim de que o valor da vida, o uso do cérebro e o calor dos corações possam ser recuperados, em prol de uma sociedade com pessoas cada vez melhores, onde a única coisa com a qual sejamos capaz de nos acostumarmos seja A PRÁTICA DO BEM.

Até agora, apresentamos e discutimos, de forma razoavelmente profunda e detalhada, sobre o sistema atual o qual vivemos, como funcionam nossos olhos e nossa cabeça, o porquê devemos analisar melhor as informações que chegam a nós, os motivos que fazem com que elas sejam manipuladas e as diferentes técnicas de manipulação existentes. A partir do próximo texto veremos grandes exemplos do que esses fatores podem causar, que nos impressionarão, ao mostrar o quanto as dimensões desses problemas podem ser aumentadas, atingindo não só a nós, mas a praticamente o mundo todo, nos incentivando e confirmando fortemente a importância dessas discussões, da divulgação dessas informações, de abrirmos um pouco mais os nossos olhos, de enxergarmos um pouco além das influencias, de vermos OUTRO LADO DA MOEDA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário